sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A saga das locomotivas "Little Joe" no Brasil (pano rápido)


Little Joe ou Russa foi um tipo de locomotiva elétrica construída pela General Electric para exportação para a União Soviética em 1946. As 20 locomotivas acabaram sendo remetidas para ferrovias Norte-Americanas e para a Companhia Paulista de Estradas de Ferro (CPEF) por causa da quebra de relações comerciais entre os EUA e a URSS durante a Guerra Fria.. Nos EUA os ferroviários se referem a ela como Little Joe Stalin's locomotives que com o tempo acabou sendo simplificado para apenas Little Joe. Doze locomotivas foram para a Milwaukee Road, três para a Chicago, South Shore and South Bend Railroad (South Shore), e as outras cinco foram compradas pela CP.
Quatorze foram construídas para a URSS em bitola larga (1,520mm), e as outras seis em bitola Standard (1,435mm). As Russas tem doze eixos, oito deles motorizados ou seja, no padrão AAR são denominadas 2-D+D-2. Foram projetadas para operar na Ferrovia Soviética SZD em 3300V DC por catenária.

Locomotiva Nº6453 em plena operação na malha paulista. Bonitas e imponentes, essas máquinas impressionavam pelo tamanho e pela potência. Foto da coleção de Vanderlei Zago.
Em um dia qualquer de operações da FEPASA, a visão do maquinista que conduzia a "Russian" pelas linhas de bitola larga. Foto da coleção de Vanderlei Antônio Zago.

A CPEF converteu suas Litlle Joe para bitola larga (1,600mm). Elas ficaram conhecidas no Brasil por "Russas". Quando a Paulista se tornou parte da FEPASA em 1971, as Russas foram transferidas para a nova companhia. Continuaram operando até 1999, com a retirada criminosa da catenária das linhas em São Paulo pela Ferroban, sucessora da Fepasa. Eram as últimas representantes das Little Joe ainda operando comercialmente. Com a privatização a Fepasa se tornou Ferroban, e imediatamente a catenária foi removida, as elétricas paralisadas. Hoje, para nenhuma surpresa, nenhuma encontra-se preservada no Brasil.
Abaixo pode-se conferir maiores informações sobre as cinco unidades de locomotivas Little Joe que vieram para a FEPASA, como eram e que fim levaram. Veja: 

Locomotiva Nº6451
Preservada? Não.
Possibilidade de restauração: Neutralizada.

No canto mais escondido do galpão, a locomotiva Nº6451 junto com outras companheiras de tração, na década de 1980. Hoje, o estado desse maquinário é lamentável. Foto da coleção de vários colaboradores.
Locomotiva Nº6452
Preservada? Não sei se pode se chamar assim.
Possibilidade de restauração: Remota, mas ainda existente.

Jogada á um canto do complexo ferroviário de Jundiaí, a locomotiva Nº6452 aguarda socorro silenciosamente. Está sem truques, mas é a locomotiva da série em melhor estado-geral de conservação, apresentando a carcaça em bom estado. Foto de Israel Silva, em 2006.
Locomotiva Nº6453
Preservada? Não.
Possibilidade de restauração: Neutralizada.

Locomotiva Nº6453 na tração dupla com uma "V-8" (atrás) também conhecida pelos paulistas como locomotiva "focinho de porco", nos trens cargueiros da FEPASA. Foto da coleção de Vanderlei Zago.
Locomotiva Nº6454 (Engº Jayme Cintra)
Preservada? Não.
Possibilidade de restauração: Neutralizada.

Aqui, a locomotiva Nº6454 passa imponente no pátio (Campinas ou Jundiaí?), na década de 1980. Fotografia da coleção de Vanderlei Zago. *Essa locomotiva apresenta pára-brisa diferenciado, adaptado de V-8, devido à um acidente ocorrido anos antes.
Locomotiva Nº6455
Preservada? Não é a palavra adequada.
Possibilidade de restauração: Remota.

Em um dia de chuva, a locomotiva Nº6455 no trem cargueiro.Nessa época ela ainda usava pantógrafos do tipo "balão", substituídos anos depois. Hoje, essa locomotiva é a única que ainda permanece junta de suas rodas, porém está em delicado estado de conservação. Foto de Vanderlei Zago. 
As locomotivas Nº6452 e 6455 ainda apresentam possibilidade de recuperação, ainda que remotas. Das locomotivas Nº6451,6453 e 6454, quase nada restou. Foram saqueadas e sucateadas, e suas cascas se encontram jogadas e capotadas pelo pátio de Triagem Paulista, em Bauru-SP. 

2 comentários:

  1. NA MINHA OPINIÃO, ESSAS LINDAS GIGANTES E, ATÉ MESMO AS OUTRAS ELÉTRICAS, JAMAIS DEVERIAM TER DEIXADO DE ATUAR.NA SITUAÇÃO QUE SE ENCONTRA O CLIMA DE HOJE, ELAS SEM DÚVIDAS NENHUMA, ESTARIAM OPERANDO SEM NENHUM TIPO DE POLUENTE E, UTILIZANDO DA ELETRICIDADE QUE DISPÕE DE ENERGIA LIMPA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, mas sabe como é o país que vivemos, né...

      Excluir